Recuperação Pós-Parto/ Diástase abdominal

Exercícios posturais e respiratórios que diminuem a pressão intra-abdominal, ajudando no tratamento e prevenção de diversos problemas relacionados com o parto.

Low Pressure Fitness – Pós – Parto

Pode ser descrito de várias formas, Low Pressure Fitness, Hipopressivos ou Ginástica Abdominal Hipopressiva, que consiste em exercícios postarias e respiratórios que no seu conjunto diminuem a pressão intra-abdominal e melhoram a nossa postura.

É indicado para:

  • Tonificar a musculatura abdominal-perineal, redução da cintura;
  • Prevenir disfunções do pavimento pélvico, incontinência urinária de esforço e prolapsos dos orgãos pélvicos;
  • Prevenir vários tipos de hérnias;
  • Regular fatores respiratórios;
  • Melhorar a postura, evitando lesões.

Este trabalho é realizado de forma personalizadas adaptada a cada situação. É direcionado para situações de incontinência urinária de esforço, recuperação parto normal e tonificação da musculatura do pavimento pélvico.

E assim relacionado com o Pós-parto, por vezes surge a diástase abdominal.

A diástase abdominal é definida como uma alteração na linha média ao longo da linha alba, havendo uma separação superior aos valores fisiológicos dos dois retos abdominais.

A zona anterior do tronco é constituída por vários grupos musculares dos quais se destacam os abdominais. Os mais superficiais e com uma orientação vertical são os retos abdominais. Os mais profundos e com orientação oblíqua e transversal são os oblíquos internos e externos e o transverso abdominal.  A atividade tónica dos abdominais suporta e protege as vísceras, é essencial para manter a postura e a estabilização da zona lombo-pélvica.

A aponevrose que se funde nos bordos internos dos retos abdominais é a linha alba que vai da parte inferior do esterno até à púbis. A linha alba tem um papel importante na manutenção da estabilidade da parede abdominal do ponto de vista mecânico.

Um teste simples para perceber qual a separação entre os retos abdominais é realizar uma pequena flexão do tronco com contração abdominal na posição de deitado e perceber quantos dedos consegue colocar entre os retos abdominais. Esta medição deve ser feita na zona do umbigo e acima e abaixo do mesmo. Se a separação for aproximadamente superior a 2 dedos e meio, esta diástase é patológica.

 

 

A diástase abdominal pode ocorrer em ambos os sexos, em diferentes grupos de idades.

Nos homens surge associada ao aumento da idade, flutuações de peso, atividades repetidas que envolvam levantamentos de peso e fraqueza abdominal.

É, contudo, mais frequente nas mulheres com uma maior prevalência durante o último trimestre da gravidez e no período pós-parto. Surge sobretudo devido a todas as alterações que podem ocorrer no corpo da mulher relacionadas com a gravidez: alteração hormonal, aumento do tamanho do útero, deslocamento anterior pélvico com ou sem hiperlordose lombar, aumento da pressão intra-abdominal. Pensa-se que esta condição esteja também relacionada com o aumento da idade da grávida, gravidezes múltiplas e multiparidade, menos de 2 anos entre partos, o parto por cesariana (pelo corte abdominal), o aumento do peso durante a gravidez, o aumento do peso do bebé à nascença, e a forma como são prestados os cuidados ao bebé à nascença.

Esta separação dos retos abdominais surge ao nível do umbigo podendo estender-se para a região supra e infra umbilical. Deveria diminuir gradualmente para menos de 2 dedos e meio de distância (aproximadamente) até 8 semanas após o parto.

O aumento da distância entre os bordos anteriores dos retos abdominais não provoca dor em repouso. Durante a atividade física, contudo, a saliência na parede abdominal pode ocorrer devido ao aumento da pressão intra-abdominal.

Gradualmente esta condição irá provocar a diminuição na estabilidade e consequente dor lombo-pélvica, bem como disfunções do pavimento pélvico como incontinência urinária ou fecal e prolapso dos órgãos pélvicos, e limitações durante a execução de atividade física.

A Fisioterapia pode ajudar através de exercícios específicos de Pilates, abdominais hipopressivos e reeducação postural e funcional.

 

Pilates na Gravidez e Pós-Parto

 O nascimento de um filho é relatado como o acontecimento mais importante de uma vida. Um novo ser nasce, a família aumenta e um amor desmedido a cada dia torna-se maior. Porem, durante a gravidez ocorrem várias alterações metabólicas e hormonais na mulher, com o objetivo de promover as condições favoráveis para o desenvolvimento e maturação do feto, preparação do sistema reprodutor e glândulas mamárias da mãe para a futura nutrição do bebé e preparação do corpo para o parto.

Todas as alterações que vão ocorrendo ao longo dos 3 trimestres da gravidez fazem com que a mulher passe por muitas mudanças físicas, psicológicas e sociais. Ao contrário do que se pensava há uns anos, a atividade física adaptada à gravidez é uma prática segura e saudável, com benefícios comprovados para a mãe e para o bebé.

Com a prática de Pilates é possível uma melhor adaptação e amenização de todas as alterações que vão surgindo, os desconfortos da gravidez diminuem e a mulher pode aproveitar a alegria de se tornar mãe.

Caso não haja contraindicação clínica, as mulheres que já praticavam Pilates antes de engravidar podem e devem continuar desde o primeiro trimestre. Se as grávidas não praticavam previamente Pilates, apenas podem iniciar a sua prática a partir do segundo trimestre, desde que com autorização médica.

 

 

O PILATES PRÉ-PARTO tem como principais objetivos:

  • Aumentar a consciência corporal da mãe sobre todas as alterações hormonais e metabólicas que vão ocorrendo no seu corpo ao longo dos 3 trimestres da gravidez;
  • Acompanhar todas estas alterações e os efeitos que deixam no corpo da grávida;
  • Favorecer uma melhor adaptação postural ao aumento do peso, acompanhando as alterações de equilíbrio, do padrão de marcha e do alinhamento corporal;
  • Manter ativos os músculos profundos lombo-pélvicos fundamentais para o suporte da coluna e pavimento pélvico;
  • Estimular a circulação sanguínea através da contração muscular;
  • Ensinar a controlar a respiração e contrair / relaxar músculos específicos para preparar o parto;
  • Manter força e flexibilidade de todo o corpo necessárias para as tarefas do dia-a-dia, para as exigências dos futuros cuidados com o bebé e para uma mais rápida recuperação da forma física após o parto.

Após o parto todas as atenções passam a ser direcionadas para o bebé. Mas a partir daqui a mãe não pode descuidar de si mesma.

Se o parto foi normal, o regresso ao Pilates pode ser feito assim que o médico verificar uma cicatrização total interna, que corresponde normalmente a 15 dias após o parto. Se o parto tiver sido por cesariana, deverá esperar 2 meses para regressar ao Pilates.

 

 

O PILATES PÓS-PARTO tem como principais objetivos:

  • Favorecer a recuperação da separação dos músculos dos retos abdominais – Diástase Abdominal;
  • Manter ativos ou, quando necessário, reeducar os músculos profundos do abdominal e pavimento pélvico;
  • Aumentar a consciência corporal e preparar o corpo para as exigências físicas da maternidade;
  • Aumentar a autoconfiança e diminuir a ansiedade e depressão pós-parto;
  • Recuperar a forma física.

O Pilates funcionará então como uma ferramenta para reduzir os desconfortos da gravidez e pós-parto e permitir à mãe vivenciar de forma plena os momentos mais felizes da sua vida.

 

 

 

Perguntas Frequentes

A recuperação Pós-Parto é indicada para recuperar a forma após parto?
Os exercícios de recuperação pós-parto são uma boa opção, pois ajudam a mulher na recuperação do corpo, promovem a sensação de bem-estar e contribuem para o aumento da autoestima e da confiança, normalmente mais frágeis nesta fase e que podem conduzir à depressão pós-parto.

Outros benefícios dos exercícios do Pós-Parto ?
Os exercícios Pós-Parto são muito úteis para reforçar a sustentação da bexiga e do intestino, reduzem a probabilidade de incontinência urinária e queda da bexiga no futuro. Os exercícios de recuperação pós-parto também permitem a correção da flacidez do abdómen e melhoria do contorno corporal.

A diástase abdominal é mais frequente nas mulheres? Em que período?
É mais frequente nas mulheres com uma maior prevalência durante o último trimestre da gravidez e no período pós-parto. Surge sobretudo devido a todas as alterações que podem ocorrer no corpo da mulher relacionadas com a gravidez: alteração hormonal, aumento do tamanho do útero, deslocamento anterior pélvico com ou sem hiperlordose lombar, aumento da pressão intra-abdominal.

É comum aparecer nos homens Diástase abdominal ?
Nos homens surge associada ao aumento da idade, flutuações de peso, atividades repetidas que envolvam levantamentos de peso e fraqueza abdominal.

É aconselhável o Pilates no Pós-parto ?
O Pilates funcionará então como uma ferramenta para reduzir os desconfortos da gravidez e pós-parto e permitir à mãe vivenciar de forma plena os momentos mais felizes da sua vida. veja mais aqui https://healthandtraining.com.pt/especialidade/recuperacao-pos-parto-diastase-abdominal/.

 

 


Agendar Consulta

Esteja à vontade para nos fazer qualquer pergunta relacionada com os nossos serviços, através do telefone, ou se preferir através do seguinte formulário